Mahavidya Yoga

Virabhadrasana
Flavia Venturoli Miranda
01/01/2008

vira – herói, valente, poderoso

bhadra – auspicioso, próspero, boa sorte

virabhadra – um dos epítetos de Shiva

Virabhadra é uma das formas de Shiva, as vezes é considerado um de seus filhos. No Vayu Purana diz que ele foi criado da boca de Shiva e em outro Purana diz que ele foi produzido por uma gota do suor de Shiva. O fato da lenda é que quando Shiva casou-se com Sati, essa união não foi bem aceita pelo sogro Daksha.

Um dia, Daksha convidou todos os deuses para um grande sacrifício, com exceção de seu genro Shiva. Contudo, Sati havia retornado a casa dos pais para uma visita e ficou extremamente ofendida com a exclusão de seu marido nesse grande sacrifício. Deprimida se atirou na pira sacrificial. e morreu. Shiva ao receber a notícia, ficou furioso. Uma gota de suor escorreu de sua face e ao cair no chão surgiu o terrível Virabhadra. Por ordem de Shiva, Virabhadra liderou o exército de Shiva e destruiu o evento de Daksha.

Nessa postura, o ponto de concentração fica no chão ou a frente. O corpo todo, com exceção da perna de apoio, fica paralelo ao solo, isso requer maior concentração já que o movimento da cabeça mexe nos fluídos do labirinto. Veja dica.

 

Variações

Há várias formas para essa postura como equilíbrio ou não. Essa postura é geralmente chamada de postura do guerreiro. Como postura de equilíbrio, as variações ficam por conta da posição dos braços, que podem ser abertos no prolongamento dos ombros, para trás etc.

Na tradição de Krishnamacharya, há inúmeros vinyasas para essa postura. Por exemplo, Iyengar lista ao menos 3 tipos de virabhadrasana, e os classifica como tipo I: ambos pés no chão, os braços para o alto, pernas afastadas, sendo que a da frente fica flexionada. No tipo II, os braços abertos ficam alinhados com as pernas, a pélvis fica aberta, as pernas afastadas e um dos joelhos flexionados. O tipo III é a versão do equilíbrio.

 

Fonte 

Light on Yoga – B.K.S. Iyengar

The Viniyoga of Yoga – T.K.V. Desikachar – KYM

Vinyasa Yoga – Srivatsa Ramaswami - Marlowe

 

Fonte Histórica

virabhadraka – Yoga Rahasya I.51 -KYM

 

Muitas vezes, monto as sequências de minhas aulas seguindo o mês a astrológico e sempre associo a virabhadrasana com o signo de sagitário. Minha associação dela com sagitário é tanto pelo intenso trabalho com as coxas (sagitário rege as coxas) como pelo formato de meio cavalo e meio arqueiro. Por isso, quando faço essa seqüência descrita por Iyengar (tipo I, II e III), sempre me lembro de uma das passagens da Mundaka Upanishad II.ii.3 e 4, o que dá o cunho filosófico e objetivo típico de sagitário:

MuUp II.ii.3 e 4- Segurando o arco, a grande arma nas Upanishads, a pessoa deve colocar nele uma fecha afiada com meditação. Preparar a corda e atingir o alvo que é Brahman com a mente absorta nele.

O Om é o arco, Atman é a fecha, e Brahman é seu alvo. Ele é atingido pela pessoa correta. A pessoa deve tornar-se um com Ele, assim como uma fecha.

 

www.celextel.org/108upanishads/mundaka.htm2008,

 

 

Esse texto foi republicado em 10 janeiro de 2010

Aliança do YogaAssociação Internacional dos Professores de Youga do Brasil

Ao transcrever o texto na integra ou em parte, identifique o autor.

Rua Dona Leopoldina, 239
próximo ao metrô Alto do Ipiranga

Profa Flavia   11 98430-8509

Profª Rosana 11  97988-8001